Revista Art & Design, ano I, fev/mar 2009, nº 4

Visitando ateliês – São Paulo

Ana Calzavara – pintora, fotógrafa e gravadora

por Pedro Augusto Vassili

 

 

Janeiro não é um mês de muitos lançamentos na área editorial. Aproveito, então, para visitar ateliês na cidade, um pouco mais calma nestes meses...

 

Em São Paulo, temos muitos jovens que podemos dizer “pintores”, apesar de trabalharem também com outros meios como a gravura e a fotografia. Talvez por conta de uma geração anterior de grandes pintores, tais como Paulo Pasta...

 

E foi no ateliê de Paulo Pasta que Ana Calzavara aperfeiçoou seus conhecimentos em pintura, além de ter cursado Artes na Universidade de Campinas e feito pós-graduação em Londres. Atualmente, Ana cursa doutorado em Artes na ECA USP, em um departamento que procura abrir espaço para um fazer artístico ao mesmo tempo reflexivo e técnico, dualidade que deveríamos rever com cuidado, em se tratando de arte. Sob orientação de outro expoente das artes paulistanas, Marco Buti, gravador e fotógrafo, Ana investiga novos componentes plásticos para criar lugares do olhar. Estes que chamo de lugares do olhar são imagens moduladas por recortes visuais e por sobreposições de cores e de faturas, em camadas, como os muros e as ruas de qualquer cidade, de qualquer lugar.

 

Se falei tanto nos professores e nos cursos frequentados pela artista, foi no intuito de sublinhar que a arte do pintor é uma arte erudita, uma trama de tradição, de trabalho de ateliê, de estudos. Nem melhor, nem pior que a arte mais imediata e efêmera que se vale de materiais e citações cotidianas, apenas profundamente diferente.

 

Não que os pintores também não se valham de imagens cotidianas e citações. Ana, por exemplo, é também fotógrafa. Mas, a meu ver, mesmo quando se dedica à gravura ou, mais atualmente, à fotografia, é uma lógica de pintora que aflora das superfícies, sejam elas lisas, planos de cor que estruturam quase geometricamente as imagens fotográficas; sejam elas saturadas de linhas, como nas gravuras. E as fotografias de Ana Calzavara escolhem, elegem esse lugares quaisquer como lugares ocupados pela experiência do olhar.

 

Ana Calzavara é uma artista mapeada pelo projeto Rumos, do Itaú cultural. O seu trabalho pode ser visto em mostras frequentes, tais como a individual “Frestas- pinturas e fotografias”, na Casa de Dona Yayá, em São Paulo, no ano de 2006, a coletiva de pintores “Ut Pintura Diversitas”, no Memorial da América Latina, SP, em 2007, ou “Made in Brazil – small prints and drawings”. Goloborotkos’studio, Nova York, em 2008. Além das mostras constantes, suas gravuras estão disponívies aos apreciadores na galeria Gravura brasileira (www.cantogravura.com.br).